Sexta, 30 de Outubro de 2020 05:22 83 986038775
SAÚDE Covid-19:

Anvisa alerta sobre falsa vacina de Oxford contra a Covid-19 vendida no Brasil

Agência reguladora esclarece que recebeu denúncia e reitera que nenhuma vacina contra a Covid foi liberada até o momento.

12/10/2020 22h39
115
Por: SE LIGA SERTÃO Fonte: wscom
Anvisa alerta sobre falsa vacina de Oxford contra a Covid-19 vendida no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que recebeu uma denúncia de venda de uma falsa vacina contra a Covid-19 em Niterói, no Rio de Janeiro. De acordo com a reguladora, uma empresa está vendendo o imunizante falsificado e dizendo que se trata da vacina em desenvolvimento pela Universidade de Oxford e pela AstraZeneca.

“Anvisa recebeu a denúncia sobre a suposta comercialização irregular da vacina contra a Covid-19 por meio de seus canais oficiais, indicando que estaria sendo disponibilizada por uma empresa localizada em Niterói/RJ a vacina de Oxford contra a Covid-19”, disse a Anvisa.

“A denúncia foi apresentada no último dia 25 de setembro e no mesmo dia houve avaliação e encaminhamento formal para a Direção Geral da Polícia Federal”.

A agência reitera que não há ainda uma vacina contra a Covid-19 autorizada para comercialização no Brasil. Até a liberação, a Anvisa pede que não seja adquirido nenhum suposto imunizante contra a doença.

“Existem no Brasil vacinas contra a Covid-19, exclusivamente para uso em estudos clínicos. Não há permissão para comercialização e distribuição dessas vacinas”, disse a nota da Anvisa.

Vacina em testes

Ainda em fase de testes e sem aprovação para venda no Brasil, a vacina desenvolvida pela AstraZeneca, em parceira com a Universidade de Oxford, é tida pelo governo brasileiro como uma das principais apostas para a imunização contra o Covid-19. Por enquanto, apenas voluntários estão recebendo uma dose do imunizante e de forma controlada pelas instituições responsáveis.

Vacina de Oxford para a Covid-19 é candidata ‘muito forte’ e segura, diz reitora da Unifesp
O Ministério da Saúde afirma que acompanha mais de 200 estudos contra a doença no país. “Não serão economizados esforços para disponibilizar aos brasileiros, tão cedo quanto possível, uma vacina eficiente – em quantidade e qualidade para atender a população”, disse a pasta, em nota.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias